TUDO O QUE ROLOU NA DEMO² — PRIMEIRO DIA

Desfile Wendyel Borin. (Foto: Miguel Soll)

Pelo segundo ano consecutivo, nos dias 10 e 11 de novembro, o Instituto Ling, em Porto Alegre, abriu suas portas para receber a DEMO — Design e Moda, realizada  pela Blast, pela Pandorga e pela Radar Consultoria.

A DEMO² veio a público com alguns propósitos. Entre eles o de por na roda a pergunta: E o futuro? Uma indagação conveniente para quem gosta de alimentar assuntos que dizem respeito ao amanhã da cena criativa. Para responder a esta e outras inquietações tome exposições, desfiles, conversas, performances, gastronomia, música e, principalmente muita interação.

O brunch  na manhã do dia 10 deu o tom da edição. Lotada, a ala gastronômica do Ling foi transformada em espaço para um encontro raro e concorrido na capital entre os organizadores, a imprensa, empresários e convidados.

Eduardo Motta e Fernanda Yamamoto. (Foto: Pyetra Salles)

 

Bruna Caldas e Paula Bohrer. (Foto: Pyetra Salles)
Os organizadores: Vinícius Andrade, da Pandorga, Eduardo Motta, da Radar, Ramon Steffen, da Blast, Gabriel Vanoni, da Pandorga. (Foto: Radar)

Às 11h, foi oficialmente aberta a exposição da designer de roupas Fernanda Yamamoto. Peças da coleção de Inverno 2018 aportaram no primeiro andar do Instituto.  Um luxo poder ver de perto a técnica precisa, o domínio da alfaiataria e as formas pouco ortodoxas de Yamamoto. Não é todo o dia que se tem um trabalho de tal qualidade ao alcance das mãos.

Exposição de Fernanda Yamamoto no primeiro andar do Ling. (Foto: Pyetra Salles)

Ao mesmo tempo, foi aberta a instalação da Volta, estúdio criativo especializado em mobiliário e objetos, apresentando segmentos do processo de construção de peças da coleção Atmosfera.

Volta. (Foto: Miguel Soll)

A mostra comercial no grande salão foi inaugurada com uma seleção de nomes do mercado criativo local. Da joalheria contemporânea de Alice Floriano, passando pelas peças experimentais da ASAP, a lingerie detalhista da Oh Studio, até a sobriedade inteligente da Senplo. Todos ali respondendo, à sua maneira, às inquietações sobre o futuro.

Sandra Ferraz. na mostra comercial. (Foto: Pyetra Salles)
Rodrigo Cury, da Preza, e Sergio Amaro, da ASAP, na mostra comercial. (Foto: Pyetra Salles)
Mostra comercial. (Foto: Radar)
Mostra comercial. (Foto: Radar)

A primeira conversa do dia ficou por conta de Evilásio Miranda, representante no Brasil da empresa de pesquisa francesa Nelly Rodi e um multi realizador na área. Entre cenários quase ficcionais e situações de entorno social, Evilásio, mediado por Gabriel Vanoni da Pandorga, construiu um painel lúcido e desafiador sobre o futuro dos negócios de moda.

Durante todo o dia a equipe da Kapo, cuidou da beleza de visitantes e do casting de desfiles. Uma área do grande salão foi transformada em um backstage aberto e bastante concorrido O Kapo agitou a Mostra Comercial.

Kapo Cabelos (Foto: Fernando Picolli)
Kapo Cabelos (Foto: Fernando Picolli)

Ao fim da tarde, o auditório do Ling recebeu o Demo Atelier com Fernanda Yamamoto em bate papo mediado por Eduardo Motta. Hora de entrar em contato íntimo com o processo criativo da estilista. O formato Atelier emprega recursos variados, de projeção até modelos vivos exibindo a coleção de verão, à venda na loja da marca.

Fernanda Yamamoto no DEMO Atelier. (Foto: Blog Usefashion)

No fim do dia, no hall do Instituto, Itiana Pasetti conduziu performance construindo uma roupa com resíduos de guarda chuvas sobre um manequim de prova.

O desfile de Wendyel Borin, ganhadora do acelerador DEMO 2017 fechou a programação do dia apresentando alfaiataria original: uma coleção feminina realizada a partir da desconstrução de peças masculinas. Merece registro a capacidade de Borin de reorganizar os elementos pré-existentes, em minucioso exercício de reinvenção técnica e formal de peças originalmente também complexas. Com mão firme, boa variação de proporções e áreas de contraste, a coleção tem algo de colagem cubista e revela uma criadora interessada em grandes desafios. Coisa rara.